A preparação do profissional para a entrada no mercado de trabalho começa desde cedo e envolve não somente a qualificação acadêmica e técnica, mas também aspectos comportamentais.  Estes, aliás, muitas vezes são fundamentais para o candidato se destacar na multidão de concorrentes.

O mercado espera que o profissional de qualquer área desenvolva habilidades, tais quais: trabalhar bem em equipe, ser multicultural, fazer networking, falar bem em público, negociar, portar-se em uma reunião, ser interdisciplinar, escolher a carreira, ler ambientes, saber contratar, liderar e gerir equipes.

O profissional de Relações Internacionais, pela própria natureza de sua formação, tem condições de assumir a liderança, desenvolver com facilidade essas habilidades e, por consequência, se destacar no mercado com relação aos outros profissionais.

São cinco as competências que fazem de um analista internacional um profissional de destaque no mercado.

1 –  Multicultural

Com a globalização, é cada vez mais crescente a presença de profissionais de vários países trabalhando numa mesma área em empresas e instituições, de forma que saber administrar bem as diferenças culturais pode ser crucial no desempenho da equipe e no bom ambiente de trabalho. Espera-se que o profissional de RI seja multicultural e assim consiga minimizar os impactos negativos advindos das diferenças culturais para alcançar a melhor performance de uma equipe com backgrounds e idiomas distintos.

2 – Facilidade em negociar

Negociar é outra atividade bastante estudada nos cursos de RI, o que proporciona aos profissionais da área uma base sólida para realização de negociações no ambiente profissional. Com exceção dos cursos específicos de negociação oferecidos no mercado, desconhecemos outro curso de graduação com tantas cadeiras dedicadas ao tema.

3 – Leitura de ambientes

As teorias de relações internacionais servem com certeza para auxiliar os internacionalistas na leitura de ambientes. Alguns comportamentos apresentados no ambiente profissional, por exemplo, podem ser identificados de forma que o perfil do interlocutor seja traçado e seja possível ‘prever’ seu curso de ação e assim se preparar para os desdobramentos.

4 – Interdisciplinar

Ser interdisciplinar também é outra grande caraterística do Analista Internacional. Podendo ter focos distintos, o aluno de RI estudará, invariavelmente, matérias relacionadas à historia, geografia, política, estatística, economia, filosofia, sociologia, antropologia, direito, contabilidade, segurança, direitos humanos, comércio exterior, teoria de Relações Internacionais, entre outras. E não somente as disciplinas, mas a forma como elas interagem entre si.

5 – Profissional coringa

Além das características apresentadas até agora, o grande diferencial do internacionalista é o fato de ser um profissional coringa. Por poder atuar em diversos setores, seja público, privado, terceiro setor, acadêmico, dentro de cada um deles há ainda um grande leque de opções. O internacionalista é capaz de se especializar no entendimento de vários segmentos da indústria, comércio de bens e serviços, desenvolvimento de tecnologias, inovação, vendas, marketing, projetos, captação de recursos, atendimento, prospecção de mercado, eventos, empreendedorismo, criação, gestão, entre muitos outros.

Leia também:

 

COMPARTILHAR
Internacionalista, mineira, radicada no Rio de Janeiro desde 2012. Idealizadora/Fundadora do What's Rel? (2011). Business Development Latin America para uma empresa canadense de engenharia, sócia da PAR Consultoria, e grande entusiasta da carreira de R.I. :)

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here