Analista de Projetos – PNUD, Brasília

0
339

Background

O Governo brasileiro tem buscado contribuir para a melhoria dos indicadores de desenvolvimento humano de países dos continentes americano, africano e asiático. Para tanto, tem celebrado, desde 1970, acordos de cooperação que permitem o compartilhamento de conhecimentos técnicos adquiridos durante o processo de desenvolvimento tecnológico e institucional do Brasil.
A Agência Brasileira de Cooperação (ABC) é a Unidade Administrativa do Ministério das Relações Exteriores à qual estão afetas as atividades de planejamento, negociação, elaboração, implementação e execução de projetos e programas de cooperação técnica internacional.
No contexto do Programa de Cooperação sul-sul Brasil–OIT, em abril de 2015 foi assinado o projeto Cooperação sul-sul para a promoção do trabalho decente em países produtores de algodão na África e América Latina com o objetivo de contribuir para a promoção do trabalho decente nos países em desenvolvimento produtores de algodão, por meio da sistematização de experiências brasileiras, seu compartilhamento e adaptação em países interessados. Para isso, o Governo brasileiro e a OIT estabelecerão missões de prospecção, executarão e acompanharão o desenvolvimento das atividades de cooperação técnica sul-sul/ trilateral que serão implementadas a partir de planos de trabalho desenvolvidos em parceria com os países interessados.
O projeto de cooperação conta com recursos financeiros disponibilizados pelo Instituto Brasileiro de Algodão (IBA), entidade criada para administrar o Fundo de Assistência Técnica e Fortalecimento da Capacitação Relativo ao Contencioso do Algodão estabelecido a partir da assinatura do “Memorando de Entendimento entre o Governo dos Estados Unidos da América e o Governo da República Federativa do Brasil sobre um Fundo de Assistência Técnica e Fortalecimento da Capacitação Relativo ao Contencioso do Algodão (WT/DS267) na Organização Mundial do Comércio” (“MoU Brasil-EUA”), assinado em 2010 e revisado em 2014. O PNUD estabeleceu parceria com a OIT para apoiar a implementação do mencionado projeto.
Em conformidade com os objetivos do Fundo e no intuito de intensificar a cooperação Sul-Sul brasileira, em especial no que tange às suas contribuições relacionadas à agenda “Aid For Trade”, o Governo brasileiro se propôs a apoiar a implementação de novos projetos de cooperação técnica horizontal em apoio ao setor algodoeiro de países em desenvolvimento cujas economias dependem largamente do produto. Dessa forma, de modo a cumprir com suas atribuições e em função da intensificação das atividades de cooperação sul-sul trilateral, a ABC requer a contratação de pessoal especializado em negociação, elaboração, acompanhamento e avaliação de projetos de cooperação técnica prestada pelo Brasil.

Duties and Responsibilities

a) Prover subsídios técnicos em negociações relacionadas ao desenvolvimento dos programas de cooperação técnica internacional;
b) Apoiar na elaboração de programas, projetos, e atividades de cooperação técnica internacional, na modalidade Sul-Sul e na modalidade Sul-Sul Trilateral), vinculados a negociações mantidas entre o Governo brasileiro, outros países e organismos internacionais, em particular na elaboração de projetos de apoio à promoção do trabalho decente em países em desenvolvimento produtores de algodão;
c) Prover suporte técnico à análise de viabilidade das propostas de projetos de cooperação Sul-Sul (bilateral, trilateral e regionais);
d) Preparar informações analíticas sobre o desenvolvimento dos programas, projetos e atividades;
e) Conceber e operacionalizar instrumentos de disseminação de experiências de sucesso da cooperação Sul-Sul do Brasil;
f) Assessorar na identificação e formulação de mecanismos triangulares de cooperação Sul-Sul;
g) Apoiar na identificação/elaboração de bases de dados ou documentos síntese das prioridades dos países parceiros recipiendários da cooperação.
e) Apoiar na elaboração dos relatórios técnicos relacionados ao projeto e à parceria firmada entre OIT e PNUD.
Apoiar a concepção, programação, elaboração e execução de projetos e atividades de Cooperação Técnica Internacional, com foco na modalidade Sul-Sul trilateral, para atuação neste projeto e em outros, caso necessário.

Competencies

Competências funcionais:
Desenvolvimento e Eficácia Operacional
Habilidade para manter informações e bases de dados;
Analisar informações gerais e selecionar os materiais;
Habilidade para analisar dados, identificar e ajustar as discrepâncias;
Capacidade analítica de resolução de problemas e análise de números;
Capacidade de interpretar relatórios financeiros e orçamentários;
Capacidade de produzir registros precisos e bem documentados em conformidade com o padrão exigido;
Habilidade para lidar com um grande volume de trabalho possivelmente sob restrições de tempo.
Gestão de conhecimento e aprendizagem
Habilidade em compartilhar conhecimento e experiência;
Capacidade de trabalhar ativamente para promover continuidade na aprendizagem pessoal e na aplicação de habilidades recém-adquiridas;
Habilidade e conhecimentos fundamentais de processos, métodos e procedimentos;
Compreender os principais processos e métodos de trabalho, políticas e procedimentos organizacionais relativos à posição e aplica-los de forma consistente com as tarefas de trabalho;
Demonstrar bom conhecimento de tecnologia da informação e aplicá-lo no trabalho;
Promover a aprendizagem organizacional e o compartilhamento de conhecimentos.
Promoção de mudanças e desenvolvimento organizacional
Habilidade de apresentar informações sobre as melhores práticas de mudança organizacional;
Habilidade para identificar problemas, manejar e gerir conflitos, bem como propor soluções.
Liderança e Auto- Gestão
Demonstrar auto-desenvolvimento e a tomada de iniciativa;
Capacidade de atuar como integrante de uma equipe e facilitador do trabalho em equipe e incentivar a comunicação eficaz;
Criar ambiente sinergético através da auto-controle;
Habilidade para coletar dados e implementar sistemas de gestão;
Habilidade para utilizar informações / dados / outros sistemas de gestão;
Habilidade para reunir e e divulgar informações sobre prestação de contas e sistemas de gestão baseada em resultados;
Habilidade para elaborar relatórios para clientes internos e externos adequadamente;
Capacidade de organizar e priorizar agenda de trabalho para atender às necessidades e os prazos.
Competências Corporativas:
Demonstrar comprometimento com a missão, visão e valores do PNUD;
Demonstrar sensibilidade e capacidade de trabalhar com diversidade cultural, de gênero, religiosa, raça ou nacionalidade.

Required Skills and Experience

Educação:
Nível superior completo;
Desejável especialização na área de projetos.
Experiencia:
Experiência mínima de 6 anos, comprovada em currículo, na identificação, elaboração, execução e monitoramento de projetos de cooperação técnica, preferencialmente voltados a países em desenvolvimento, podendo ser considerada também, experiência em projetos junto às Agências do Sistema Nações Unidas e à cooperação recebida pelo Brasil do exterior;
Desejável experiência em cooperação sul-sul trilateral;
Desejável conhecimento das diretrizes de elaboração e gestão de cooperação Sul-Sul da ABC.
Idiomas:
Fluência oral e escrita em português e em francês;
Desejável fluência em espanhol e inglês.
Importante:
Nacionalidade brasileira ou outros legalmente autorizadas a trabalhar no Brasil.
O PNUD dá oportunidades iguais a todos os candidatos e incentiva particularmente os afro-brasileiros e mulheres a se candidatarem.
Candidaturas:
Apenas as candidaturas cadastradas no site do PNUD, link “Oportunidades” – “APPLY NOW”, tendo o formulário P11 do PNUD devidamente preenchido e enviado dentro do prazo, serão examinadas.
Não serão emitidos recibos individuais de confirmação da candidatura devido ao volume de candidaturas.
Devido ao grande volume de candidaturas recebidas, apenas os candidatos pré-selecionados serão contatados.

Local:Brasília

Data de expiração: 21 de junho de 2018

Para saber mais, clique aqui.

COMPARTILHAR
O mais completo site brasileiro sobre o mercado de trabalho em Relações Internacionais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here