Quadrinhos e Relações Internacionais

0
144
Quadrinhos e Relações Internacionais

Enquanto produto cultural, histórias em quadrinhos têm um grande potencial de influenciar gerações por décadas, apoiar ideários políticos e sociais, romper ou sustentar estereótipos, além de permitir relatos imersivos e acessíveis sobre diversos assuntos. Pensando nisso, o WR? preparou um compilado de HQ que se conectam aos principais temas presentes no diálogo internacional; com registros da resistência negra durante o Brasil Colônia, ou do que viria a ser um dos prelúdios do colapso da União Soviética, o avanço do movimento feminista e a crise no Oriente Médio. Sem esquecer de pessoas como Alice Pereira, Frederik Peeters ou Marjane Satrapi, autores que, através de suas experiências pessoais, expandem para o ambiente macro questões latentes do cenário internacional. 

 

Quadrinhos e Relações Internacionais

Persépolis – Marjane Satrapi

Persépolis acompanha a série de revoluções que levaram à transição política do Irã para a profunda opressão do regime xiita, em 1979, através da narrativa autobiográfica da autora, Marjane Satrapi. Quem remonta suas memórias de infância de forma crítica e bem humorada, como a menina de 10 anos que, assim como tantas outras, viu sua liberdade cerceada progressivamente pelo novo governo vigente. 

 

Quadrinhos e Relações Internacionais

Angola Janga – Marcelo D’Salete

A obra de D’Salete apresenta Palmares, não apenas como um quilombo dos livros de história mas como Angola Janga, o reino africano que se instalou no solo brasileiro graças à resistência contra a escravidão e a brutalidade do Brasil colônia contra a população negra. Apesar do nome, Angola Janga, em tradução livre “pequena Angola”, D’ Salete aponta que apenas a população residente na capital do reino, correspondia a uma das maiores cidades do Brasil do século XVI. Criada pela necessidade de reagir à violência da escravidão e o desejo de liberdade, Angola Janga foi uma nação dentro de outra e se tornou símbolo da luta contra a opressão e o racismo no Brasil.

 

Quadrinhos e Relações Internacionais

Maus – Art Spiegelman

Art Spiegelman trás para os quadrinhos um dos eventos mais brutais da história mundial a partir da narrativa de seu pai, Vladek Spiegelman, um judeu polonês sobrevivente do campo de concentração de Auschwitz durante a Segunda Guerra Mundial. Sem personagens maniqueístas, Spiegelman apresenta as maiores complexidades humanas na forma de ratos, porcos e cachorros, sem deixar de inquietar-se diante das contradições e valores de seu pai como protagonista dos relatos. 

 

Quadrinhos e Relações Internacionais

Primavera em Tchernóbil – Emmanuel Lepage

Primavera em Tchernóbil é um relato documental da maior tragédia nuclear da história, ocorrido em 1986, na antiga União Soviética, mas também a narração de pessoas que escolheram ou precisaram permanecer no local rodeado pela radioatividade e pela beleza frágil quase pós-apocalíptica desenhada por Lepage. 

 

Quadrinhos e Relações Internacionais

Pílulas azuis – Frederik Peeters

Considerada uma das mais belas histórias de amor já publicadas, Peeters usa de leveza e humor, hora raiva e compaixão para relatar como é se apaixonar por alguém portador do vírus HIV. Fugindo de estigmas e preconceitos, a obra apresenta uma visão humanizada de pessoas em suas vidas cotidianas que, por acaso, são portadoras da AIDS, mas que de maneira nenhuma tem suas histórias  resumidas a isso. 

 

Quadrinhos & Relações Internacionais

Mulheres na luta – Marta Breen e Jenny Jordahl

Mulheres na luta narra a trajetória feminina em suas pequenas e grandes vitórias, ao longo de 150 anos, em busca de liberdade e igualdade, destacando os paradigmas do movimento feminista, os avanços atingidos e as conquistas que ainda precisam ser alcançadas.

 

Quadrinhos e Relações Internacionais

Pequenas Felicidades Trans – Alice Pereira

Com delicadeza e simplicidade, Alice Pereira, uma mulher trans, relata em quadrinhos as alegrias e tristezas vivenciadas durante e depois de seu processo de transição de gênero, fugindo dos clichês e estereótipos muitas vezes atrelados à pessoas trans. Mesmo diante de todos os avanços, a autodeterminação de gênero e a mudança legal, assim como grande parte dos direitos da comunidade LGBTQIA +, ainda engatinham em muitos países ou são completamente reprimidos. O que aumenta a importância do relato de uma mulher trans dando voz a sua própria temática e abre caminhos para que toda a população, em muitas circunstâncias marginalizada, possa ser ouvida. 

 

Quadrinhos e Relações Internacionais

O lixo da história – Angeli

A obra “O lixo da história” reúne 10 anos de um extenso compilado de charges inteligentes e críticas sobre as principais questões que abrangem o cenário político internacional do Oriente Médio.

 

Esse artigo foi elaborado pela estudante do 4° período de Relações Internacionais da PUCMinas – Poços de Caldas, Juliana Saleme.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here