Prós e contras de escolher a IRLANDA para intercâmbio

0
2674

Depois de inúmeras mensagens de nossos leitores pedindo dicas de intercâmbio, selecionamos alguns destinos frequentemente escolhidos pelos brasileiros e organizamos uma série de publicações com as informações essenciais sobre cada um. Nesta semana, começamos com a Irlanda, um destino escolhido por quem deseja aprender inglês. Mãos à obra?

Estudar no exterior é um sonho que não tem idade e nem momento. Para estudantes do ensino médio e universitário trata-se da oportunidade de iniciar a aprendizagem de um novo idioma e vivenciar novas experiências. Para graduados, é a chance de adquirir conhecimento qualificado para agregar à vida profissional e melhorar o conhecimento do idioma.

        

Esse é o caso da economista Brenda Alves, que há um ano e meio escolheu a Irlanda como destino para estudar o inglês, conhecer uma nova cultura e se qualificar profissionalmente. Com a ajuda de Brenda, que nos contou a sua experiência internacional, o What’s Rel? levantou as vantagens e desvantagens de fazer intercâmbio no país europeu, uma dica que VALE OURO para quem está indeciso na escolha do destino.

Vantagens

  • Menos burocracia

Uma das maiores vantagens da Irlanda é a facilidade que o intercambista tem para tirar o visto.  Em diversos países, o participante de um programa de intercâmbio precisa fazer entrevistas, comprovar renda e emprego fixo, pagar taxas consulares, dentre outras burocracias que podem emperrar a tão sonhada viagem. Para a Irlanda, o intercambista só precisa dos requisitos abaixo:

– Carta da escola, com curso de carga mínima semanal de 20h/aula por semana;

– Ter seguro governamental ou médico privado;

– 3000 euros comprovados em extrato de uma conta em banco irlandês + 300 euros de imigração;

– Comprovação de endereço fixo.

  • Bolso: custo baixo e possibilidade de trabalho

Além de ser um destino mais barato se compararmos aos EUA, Canadá e outros países europeus, a Irlanda permite que o intercambista tenha um emprego remunerado. Segundo Brenda, o dinheiro adquirido trabalhando no país foi fundamental para que ela optasse por ficar mais um ano estudando. “Aqui temos flexibilidade com relação ao trabalho. Existem muitas oportunidades em diversas áreas, de forma ser possível conciliar com o estudo”, disse. Ela ainda explica que os estudantes são liberados a realizar 20 horas de trabalhos semanais durante o período de aulas, e 40 horas semanais no período de férias.

O visto Stamp 2, que dá permissão de trabalho, pode ser renovado por duas vezes, mas o estudante não pode cursar o nível de inglês igual ou inferior ao já cursado. A maneira que a Irlanda controla isso é por meio de exames de proficiência obrigatórios. Brenda esclarece que caso o estudante não alcance as notas e a frequência mínima, que é de 85%, ele tem que retornar ao seu país. Por conta desse controle rígido, Brenda orienta que o estudante planeje com antecedência junto a escola de idiomas o seu período de férias e trabalho para que ambos não atrapalhem o calendário de estudos.

Vale lembrar que, desde janeiro de 2016, o governo irlandês reduziu de 1 ano para 8 meses o visto de estudante com permissão de trabalho. Então fique atento às novas regras de imigração antes de organizar a viagem.

  • Sotaque e pluralidade cultural

Para Brenda, um benefício é a pronúnica do país. “Se você aprende o inglês do irlandês, que tem uma pronúncia difícil, você tem o ouvido treinado para entender o inglês de qualquer parte do mundo”.

Outro fator importante é quantidade de estudantes de diferentes culturas que a Irlanda recebe anualmente. Indianos, árabes, japoneses, sul coreanos, tailandeses, alemães, italianos e espanhóis são nacionalidades comuns nas escolas do país. “Essa mistura de cultura contribui muito para que o desenvolvimento do listen. As salas de aulas ficam bem diversificadas, o que te leva a compreender o inglês de outras culturas”, avalia Brenda que entende ser esse um grande benefício para o desenvolvimento profissional.

  • Viaje a custos baixos por toda a Europa

Ir à Irlanda é estar na Europa! Além ficar pertinho de países turísticos, os custos de viagem são muito baixos. Brenda nos conta que a maioria dos estudantes junta dinheiro do trabalho para viajar. “As passagens aqui são muito baratas. São duas cia aéreas que juntas fazem voos por quase toda a Europa. Por isso, é muito comum que os estudantes usem os feriados e o período de férias para conhecer outras países e ampliar o contato com outras culturas”.

  • Receptividade e respeito

Um qualidade do povo irlandês é a receptividade. Apesar de menos emotivos e passionais que os brasileiros, Brenda considera que os irlandeses são afetuosos, altruístas, sinceros e objetivos. O brasileiro é bem recebido e o povo Irlandês já se acostumou com nosso jeito.

Outra qualidade é o respeito. De acordo com Brenda, os jovens têm uma boa relação com os idosos, sendo que estes possuem uma vida ativa. “Eles frequentam pubs, trabalham, caminham pelas ruas que são bem preparadas para pessoas idosas e deficientes”.

Uma curiosidade que Brenda destaca é a relação do país com as pessoas portadoras da Síndrome de Down. “No Brasil ainda se tem a visão de que são pessoas incapazes. Aqui eles são comuns. Estudam nas escolas convencionais, trabalham em grandes lojas, possuem uma vida ativa. Sem restrições e limitações. Há um respeito social muito grande”, finaliza.

Desvantagens

  • Clima

Brenda diz que uma desvantagem é com relação a questão climática. “Na Irlanda chove todos os dias com rajadas intensas de ventos. No verão não faz mais que 20 graus”. Segundo ela, é importante considerar essa questão na hora de escolher o país, pois quem tem dificuldades pode não se adaptar. “Vi casos de pessoas com depressão e baixa autoestima por causa do clima e que tiveram que voltar ao Brasil antes do previsto” conta. “Para vir para a Irlanda deve-se estar preparado para as adversidades climáticas. Elas são muitas”, completa.

  • Dificuldade em alugar moradia

Não é fácil alugar moradia individual na Irlanda. Os proprietários dificultam o acesso do estudante a apartamentos por medo de inadimplência e festas. Além disso, o valor não é nada barato. Isso se torna um problema para marinheiros de primeira viagem.

Por isso, Brenda considera melhor escolher moradias compartilhadas. “Muitos irlandeses alugam quartos vagos dos filhos para estudantes estrangeiros. Eu, particularmente prefiro esse modelo”, esclarece.

  • País conservador

A Irlanda é um país ainda bastante conservador. Temas como religião e homossexualismo são difíceis de serem tratados com profundidade, por ser um país extremamente católico. A conduta católica, por tanto, é bem enraizada. Brenda conta que no país a divisão entre homens e mulheres é ainda muito presente nas novas gerações. “Existem escolas para meninos e escolas para meninas”, conta.  As escolas são, em sua grande maioria, dirigidas por organizações católicas, e crianças não batizadas podem se sentir um pouco desconfortáveis por lá. Brenda também conta que, assim como em muitos países, os salários das mulheres são inferiores a dos homens, mesmo exercendo cargos similares.

Já decidiu?

A Irlanda tem atraído cada vez mais brasileiros como destino de interâmbio na Europa, mas como qualquer lugar apresenta vantagens e desvantagens. Esperamos que a experiência da Brenda ajude quem ainda está indeciso, mas morre de vontade de estudar fora do país.

E você, sonha em conhecer qual país? Já esteve ou fez intercâmbio na Irlanda? Conta para gente o que você mais gostou do seu intercâmbio e ajude nossos leitores a escolherem o melhor destino!!

 

Fonte das imagens: BBC News e Blog Descubra o Mundo

COMPARTILHAR
Jornalista e analista internacional apaixonado por Mountain Bike. Trabalha com Relações Internacionais e é Editor de Conteúdo do What’s Rel?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here