Como convencer alguém sobre o seu ponto de vista?

0
43
Livros: O Dono do Morro, por Misha Glenny e Abusado, por Caco Barcellos.
Livros: O Dono do Morro, por Misha Glenny e Abusado, por Caco Barcellos.

Convencer alguém que já pensa como você a fazer algo, não tem em si um grande mérito.

O grande mérito vem quando você convence alguém que pensa (completamente) diferente de você a fazer algo.

Seja numa #negociação de cunho pessoal, ou mesmo numa transação comercial, num processo de #venda: a chave está no seu processo argumentativo.

Mas como desenvolver ou aprimorar sua capacidade de argumentação e convencer alguém sobre o seu ponto de vista?

Na graduação de Relações Internacionais estudamos uma série de teorias como, realismo, liberalismo, institucionalismo, construtivismo, racionalismo, marxismo, dentre muitas outras. É certo que durante a graduação, por sermos ainda bem jovens, há uma certa dificuldade em entender de que forma estes conhecimentos realmente poderão nos auxiliar no exercício da nossa profissão de maneira prática. Tudo parece abstrato neste momento, por falta de experiência e por vezes, de maturidade.

Mas na medida em que entramos no mercado de trabalho, este conhecimento vai tomando um novo formato, e percebemos como estas teorias nos ajudam de fato a ‘compreender e explicar os fenômenos relativos à ação humana’. Em outras palavras: nos ajuda a nos colocar no lugar do outro não somente de maneira empática, mas também a conseguir acompanhar a linha de raciocínio de um raciocínio diferente do nosso próprio.

Isso é uma ferramenta muito poderosa quando estamos lidando com uma negociação: quando você é capaz de, em alguma medida, ‘prever’ o comportamento do outro, você cria suas próprias ferramentas para desenvolver um argumento que tenha valor para o outro, que seja capaz de convencer o outro, independente de você concordar com isso, ou sequer pensar da mesma maneira.

Aqui trata-se do outro e não de você. É sobre o que o outro pensa, o que o outro precisa, o que o outro vê valor. E não existe nada mais #clientdriven do que isso.

E que que fique claro: não se trata de enganar ou manipular ninguém e sim, ser capaz de mostrar a sua perspectiva num formato ou prisma mais aderente à realidade do outro, com verdade.

Livros: O Dono do Morro, por Misha Glenny e Abusado, por Caco Barcellos.
Livros: O Dono do Morro, por Misha Glenny e Abusado, por Caco Barcellos.

E um método que uso consistentemente para ampliar o meu repertório de argumentos e enriquecer meu processo de negociação, aumentando minhas chances de êxito, é o consumo de conteúdos, especialmente no formato de livros e documentários, que abordem temas fora de minha bolha.

No começo eu achei que fosse ser uma verdadeira tortura investir tanto tempo em algo que, em princípio, não seria do meu interesse natural, pelo contrário. No entanto, não demorou para que eu simplesmente me sentisse fascinada por aquilo que é diferente de mim do ponto de vista do conhecimento.

Assim, vou deixar três conteúdos como sugestão, e te convido, a compartilhar nos comentários suas recomendações para que possamos todos ampliar nosso repertório argumentativo.

E você, se surpreendeu com meu método de desenvolvimento de capacidade argumentativa?

#EPC #OilandGas #EnergyTransition #Carreira #Engineering #Career

– Livro: O dono do morro, por Misha Glenny

– Série documental: Vale o Escrito – A Guerra do Jogo do Bicho. Original da Globoplay

– Livro: Abusado – O dono do morro Dona Marta, por Caco Barcellos

E se você deseja TRANSFORMAR a maneira como se apresenta ao mercado de trabalho e ser um profissional disputado por ele, seja meu aluno! Matricule-se no curso “Empregue-se, Internacionalista!” clicando aqui. Vagas limitadas 😉

COMPARTILHAR
Internacionalista, mineira, radicada no Rio de Janeiro desde 2012. Idealizadora/Fundadora do What's Rel? (2011). Business Development Latin America para uma empresa canadense de engenharia, sócia da PAR Consultoria, e grande entusiasta da carreira de R.I. :)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here