10 DICAS CRIATIVAS PARA ANALISTAS INTERNACIONAIS QUE ESTÃO PROCURANDO EMPREGO

1
711

Baseado no livro “Roube como um artista” de Austin Kleon

Engana-se quem acha que a criatividade está relacionada apenas aos artistas, pintores ou músicos. A arte de criar está relacionada principalmente a uma perspectiva particular sobre um assunto (seja ele qual for), geralmente uma percepção pouco usual ou ignorada pelo senso comum. O exercício da criatividade pode ser aplicado em todas as áreas da nossa vida, pois se baseia no esforço de buscar novas maneiras de realizar nossas tarefas.

Em seu livro Roube como um artista, Austin Kleon dá 10 princípios práticos e inspiradores para quem deseja acrescentar um pouco mais de criatividade à rotina. Como analistas internacionais que estão em busca de uma inserção no mercado de trabalho, precisamos agir com criatividade para encontrar oportunidades de atuação em uma profissão não tradicional como a nossa. Por isso, listo aqui 10 dicas criativas para os internacionalistas que estão na busca de um emprego, tomando como base os princípios mencionados por Kleon em sua obra.

1 – Guarde as ideias mais valiosas

Estamos constantemente cercados por muita informação. Por isso é importante guardar boas ideias, referências, artigos, contatos, histórias inspiradoras, filmes, músicas, fotografias que possam te ajudar posteriormente a desenvolver sua própria ideia, empreendimento, tese ou projeto. Conheça a trajetória de pessoas que te inspiram, busque saber o que elas fizeram, como elas fizeram, por onde passaram. Seja curioso em relação ao mundo em que vive. Confira. Investigue cada referência. Vá mais fundo.  Dê um Google em tudo, nos seus sonhos, nos seus problemas. Leia sobre a carreira que você sonha traçar. Carregue um caderno e uma caneta com você onde quer que vá. Acostume-se a tomar nota de seus pensamentos e observações. Copie suas passagens favoritas e conversas que ouviu por ai.

2 – Não espere saber quem você é para começar

Embora você não tenha muita certeza do quer fazer como analista internacional, comece fazendo alguma coisa. Ficar parado esperando decidir o que quer fazer pode te deixar desmotivado e preguiçoso. Tente o método por tentativas. Comece fazendo algo que está a seu alcance, e faça isso constantemente até conseguir aquilo que deseja ou goste. Pode demorar um bom tempo até que isso aconteça, mas com certeza você estará mais perto de seus objetivos do que no início. Ninguém nasce com uma carreira brilhante.  Nós aprendemos e nos descobrimos enquanto fazemos. Por isso, se você não tem ideia do que fazer, comece copiando alguém que você ama. Faça os mesmos cursos, candidate-se a vagas semelhantes, inspire-se em seus princípios e profissionalismo. Pegue a trajetória dessas pessoas e coloque na sua própria voz, e é assim que encontrará a sua voz.

3 – Crie o emprego que você quer trabalhar

Muita gente faz Relações Internacionais e depois não sabe o que fazer da vida. Não tem a menor ideia de como conciliar seus interesses pessoais e a carreira profissional e acredita que não há espaço no mercado de trabalho para aplicar seus conhecimentos na área que lhe desperta a atenção. Se você não se encaixa ou não tem interesse nas atividades que existem atualmente, talvez você precise criar o emprego com o qual você quer tanto trabalhar. Você pode tomar dois caminhos distintos. Começar a partir de um emprego “usual” e então, a partir das suas competências e interesses passar a desempenhar uma função ou atividades que estejam de acordo com o que seja relevante para você dentro da empresa ou organização que faz parte. Nesse caso será necessária muita pró-atividade, esforço e um desempenho acima da média. A alternativa é começar do zero, de maneira autônoma, fazendo aquilo que realmente gosta. Será necessário igual pró-atividade, esforço e um desempenho acima da média e também dedicação e organização. A ideia é essa: comece o negócio que quer gerir, crie os serviços que gostaria de usar, realize as atividades que gostaria de fazer – faça o trabalho que você quer ver pronto.

4 – Mova-se

A verdade é que nossa geração está tão acostumada a ter tudo a um clique de distância que acabou se tornando muito cômoda e resignada. Estamos sempre esperando aquele emprego dos sonhos (que paga bem pra caramba, óbvio!) cair do céu. O que quero dizer é que nos habituamos a procurar emprego sempre nos mesmos sites, da mesma forma. Preenchendo formulários e fazendo testes na internet.Precisamos nos perguntar se esse é o método mais adequado para o objetivo que almejamos. Não fique esperando que tudo venha até você, mova-se! Encontre outras maneiras de se inserir no mercado de trabalho, ganhar mais experiência, se especializar. Existem inúmeras oportunidades escondidas e você precisa agir estrategicamente para chegar aonde sempre sonhou.

5 – Projetos paralelos e hobbies são importantes

Se você tem duas ou três paixões, não sinta como se precisasse escolher entre elas e ficar com uma. Não descarte. Mantenha todas suas paixões na sua vida. O dramaturgo Steven Tomlinson sugere que, se você ama coisas diferentes, continue passando tempo com elas. “Deixe-as conversando entre si. Algo começará a acontecer”. Como Relações Internacionais é uma área de trabalho bem ampla, você poderá ter a chance de trabalhar com aquilo que ama, mesmo que indiretamente. Uma boa dica é imaginar, como você, como analista internacional poderá se encaixar dentro da cadeia produtiva ou de serviços da área que te desperta interesse.

6 – Faça um bom trabalho e compartilhe com as pessoas

Este é um processo de duas etapas. Etapa um, “fazer um bom trabalho”, é incrivelmente difícil. Não existem atalhos, faça coisas todo dia. Falhe, melhore.  Etapa dois, “compartilhar com pessoas”, ou seja, coloque suas coisas na internet. Na verdade, é bem simples. Repare em algo, comece a fazer algo naquela direção e depois convide os outros a prestarem atenção com você. Quanto mais aberto você for para compartilhar suas paixões, mais próximas as pessoas se sentirão do seu trabalho. Você também pode buscar na internet pessoas que amem as mesmas coisas que você e conectar-se a elas. Compartilhe coisas com elas.

7 – A geografia não manda mais em nós

Você não precisa morar em qualquer outro lugar além de onde você está para começar a se conectar com o mundo em que deseja entrar. Se você se sente estagnado em algum lugar, se for jovem demais ou sem grana, use o coração. Há uma comunidade de pessoas lá fora com a qual você pode se conectar. Cerque-se de livros e objetos que ama. Pregue coisas na parede. Crie seu mundo. Não deixe de desfrutar de um tempo de solidão e confinamento. Reflita, gaste tempo com suas ideias.  Em algum momento, quando você puder, saia de casa. Sempre pode voltar, mas tem que sair pelo menos uma vez. Se distanciar do cotidiano por determinado tempo também é uma boa maneira de estimular nosso cérebro para que ele trabalhe com mais empenho.

8 – Seja legal

Faça amigos, ignore inimigos. Essa é a regra de ouro no mundo hiperconectado. A melhor maneira de fazer amigos na internet? Dizer coisas legais a respeito deles.  Se você tem interesse em uma área específica de trabalho, se aproxime das melhores pessoas online do segmento, me refiro tanto a empresas quanto profissionais. Siga seus perfis nas redes sociais, troque e-mails se possível. Preste atenção nos assuntos sobre os quais eles falam, o que estão fazendo, o que estão compartilhando.

9 – Seja chato

Gustave Flaubert disse que é importante ser metódico e constante na vida, para que possa ser violento e original em seu trabalho. Por isso, é preciso ter mente algumas coisas: cuide da sua saúde, afinal, você quer viver por muito tempo, certo? Fique longe das dívidas. Aprenda a lidar com o dinheiro o mais cedo que puder, isto vai te poupar uma boa dor de cabeça na vida.

Mesmo que você tenha sorte o bastante para sustentar-se com o que realmente ama, levará algum tempo até chegar a esse ponto. Até lá você precisará de um emprego durante o dia para pagar suas contas. Um emprego te dá dinheiro, uma conexão com o mundo e uma rotina. Um emprego faz você encontrar outros seres humanos. Aprenda com eles e tenha ideias novas. Tente arranjar empregos nos quais você possa aprender coisas que te ajudem em seu objetivo de vida.

10 – Criatividade é subtração

Nessa era de abundância e sobrecarga de informação, aqueles que estarão a frente serão aqueles que souberem o que deixar de fora, para se concentrar no que é realmente importante. Nada é mais paralisante do que a ideia de possibilidades ilimitadas. A ideia de que você pode fazer qualquer coisa é apavorante. A maneira de superar bloqueios é simplesmente se impor algumas restrições. Parece contraditório, mas quando se trata de criatividade, limitação é liberdade. Assim, imponha algumas condições que te auxiliem a chegar ao seu melhor trabalho, reduza seu campo de possibilidades e trabalhe a partir disso. Não invente desculpas para não trabalhar – faça coisas com o tempo, espaço e materiais que você tem, agora mesmo.

Por Thayane Maia – Analista internacional formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Thayane é colaboradora do Whats Rel?

 

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here