8 COISAS QUE TODO INTERNACIONALISTA DEVERIA APRENDER ANTES DE SE FORMAR

0
2341

college-graduation

É comum ouvir recém-formados dizendo que, apesar da formação teórica da faculdade, ainda se sentem despreparados para atuar no mercado de trabalho. Entre os graduados e graduandos em Relações Internacionais talvez essa realidade seja ainda mais comum. Isso pode acontecer devido à densa carga teórica do curso e a ausência aparente de uma relação direta com o mercado de trabalho.

A ampla gama de possibilidades profissionais pode ainda ser um fator complicador, haja vista que muitos internacionalistas não sabem qual rumo tomar durante quase todos os anos na universidade. Mas o que muita gente não sabe é que a graduação é um período superimportante para a construção de uma carreira profissional bem-sucedida. E não estamos falando apenas de tirar boas notas.

Os anos da faculdade são cruciais para o desenvolvimento de algumas habilidades muito valorizadas pelo mercado de trabalho. Pensando nisso, o What’s Rel? elaborou uma lista com as principais competências que você pode (e deve) aprender antes de se formar. Dá só uma olhadinha 😉

  1. Faça a gestão do seu tempo

Com tantas provas, leituras, trabalhos e outras dezenas atividades (e eventos sociais, é claro) é preciso saber priorizar tarefas e trabalhar sobre pressão com prazos apertados. Além disso, saber equilibrar a vida pessoal e profissional é uma aptidão que te ajudará muito ao longo de toda sua vida.

  1. Aprenda a falar em público e desenvolva uma boa oratória

Como analistas internacionais o mercado exigirá que você tenha uma boa oratória. Independente da área que você venha a atuar em algum momento, você vai precisar disso na sua carreira. Algumas pessoas tem mais facilidade em falar em público, e outras nem tanto, portanto, não perca a chance de praticar bastante nos seminários e apresentações em grupo da sua faculdade.

  1. Desenvolva uma boa escrita

A galera de humanas tira a leitura dos textos de letra, mas muitos se esquecem de praticar a escrita. Uma das habilidades mais básicas e importantes. Saber escrever (bem!) é fundamental e pode ser um ótimo diferencial – acredite, tem muita gente por aí que não sabe. Como internacionalistas, é primordial dominar nosso idioma materno e isso significa escrever de maneira correta, coesa e coerente.

  1. Fique craque na arte da pesquisa

Mesmo que você não siga uma carreira acadêmica, aprender a pesquisar, encontrar e reunir informações é extremamente útil. Como analista internacional, você certamente precisará elaborar relatórios e apresentações recorrentemente. Por isso, não deixe de participar de projetos de pesquisa e conhecer as principais metodologias e ferramentas para produção de informação. Domine todo o processo.

Uma boa bagagem acadêmica vai te ajudar a conseguir o emprego que você procura, mas em muitos casos, isso é apenas o primeiro passo.

  1. Desenvolva o pensamento crítico

Esse é um ponto que os internacionalistas tiram de letra. Saber pensar e questionar faz parte da nossa profissão, mas também é necessário saber expor e argumentar seu ponto de vista. A capacidade de olhar por outras perspectivas e propor novas soluções são aspectos muito valiosos no mercado de trabalho atual.

  1. Aprenda a lidar com softwares específicos

O Pacote Office (Word, Excel e Power Point) é um requisito básico nos processos seletivos. Mas também vale correr atrás e aprender a usar outros softwares específicos da área em que você deseja atuar. Pesquisas e trabalhos acadêmicos são uma ótima oportunidade para treinar e aprender a mexer em cada um deles. Aproveite o tempo “livre” para aprender novas habilidades e se destacar da multidão. E se a grana estiver curta, existem ainda os cursos online em plataformas renomadas como o Coursera. Você não tem desculpa!

  1. Faça networking

Pode até parecer óbvio demais, mas ingressar no mundo do trabalho é passar a fazer parte de uma rede e isso requer uma capacidade de interação social que muitas pessoas não estão acostumadas. Ir a festas e chopadas pode até ser fácil, mas construir e alimentar uma rede profissional vai além disso. Aproveite palestras e eventos acadêmicos para conhecer outras pessoas e possibilidades profissionais, trocar contatos, adicioná-las no LinkedIn. Com certeza esse networking fará uma grande diferença quando você ingressar no mercado de trabalho. Mas não esqueça que é importante manter esta rede ativa e funcional!

  1. Aprenda a trabalhar em grupo

Saber trabalhar em equipe é uma das habilidades mais citadas nos processos seletivos. Mesmo que você vá trabalhar de maneira independente, saber lidar com pessoas é a chave para crescer e se desenvolver em uma empresa, seja uma startup ou uma multinacional. Envolver-se com algumas entidades e organizações de universitários como Centros Acadêmicos, Empresa Júnior e Atlética mostra que você tem experiência em lidar com pessoas e situações diferentes.

E ai? Gostou da lista? Quais desses itens é mais fácil e qual você considera mais difícil desenvolver?

Inspirado no Inquietaria

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here