ESTUDAR, SEMPRE! FORMEI EM RI: QUANDO E COMO ESCOLHER UMA PÓS?

1
1165

Por Elisa Pernisa

Em seis anos de What’s Rel?, nós recebemos muitas perguntas dos nossos leitores sobre o mercado de trabalho para os internacionalistas. Sempre abrimos espaço também ao final das nossas palestras para tirar as dúvidas do nosso público (que são muitas!)

Dentre as dúvidas mais frequentes, nós resolvemos agrupar aquelas relacionadas a pós-graduação e mestrado: Qual fazer? O que fazer? Por que fazer? Onde fazer? Quando é o melhor momento?

Gostamos de ressaltar que, sempre que respondemos uma pergunta, tentamos ser abrangentes, de maneira a atender um maior grupo dentro do nosso público. Vale a pena você ler o que está aqui e pensar a melhor maneira de traduzir essas informações para o seu contexto individual, combinado?!

Por que fazer?

Os cursos de Relações Internacionais são bastante teóricos e com viés, muitas vezes, acadêmico. Isso acaba gerando muitas dúvidas nos alunos de RI sobre a necessidade de se fazer uma pós-graduação ou mestrado depois de formados. Nosso primeiro alerta para uma realidade geral do mercado de trabalho: a demanda pela continuação dos estudos é real, em QUALQUER ÁREA de atuação. Não é exclusividade de quem faz RI, ou seja, sua formação em RI não é deficiente para o mercado de trabalho, embora ele demande cada vez mais que você continue estudando!

O que fazer?

Dependendo da carreira que deseja seguir, você poderá optar por alguma especialização, MBA, pós-graduação, mestrado etc, nas mais diversas áreas. Mas como saber qual é a melhor opção para você?

Tenha em mente o setor que deseja trabalhar e busque por opções: geralmente as pessoas que trabalham no setor privado, acabam optando por qualificações mais práticas (especialização, MBA, pós-graduação), voltadas para gestão. No Brasil, a grande maioria (se não todos) os cursos de mestrado seguem a linha mais acadêmica, de forma que se aplicam melhor nos casos das pessoas que desejam trabalhar no setor público ou mesmo trabalharem como pesquisadores/professores. No terceiro setor é mais comum ver uma combinação de ambos. Mas não se engane: não existe receita de bolo, e cada caso é um caso.

Você precisa pensar se o curso escolhido se encaixa nas suas aspirações profissionais, orçamentárias e na sua disponibilidade de tempo para fazer bem feito. Não adianta se matricular se você não tiver tempo para se dedicar.

Quando é o melhor momento?

Se a disponibilidade de tempo e dinheiro faz parte da sua tomada de decisão, o seu momento profissional também. Você pode fazer um MBA ou mestrado porque deseja mudar de área, porque deseja tentar uma promoção na empresa, porque deseja adquirir novos conhecimentos na sua área, ou mesmo porque você já tem prática em algo, mas deseja se aprimorar tecnicamente naquilo.

Qual e onde fazer?

Como o curso de RI é bastante abrangente (e nós amamos muito isso!) talvez valha a pena escolher um mestrado ou pós graduação que te dê algum direcionamento ou te torne especialista em algo: direitos humanos, políticas públicas, inovação, marketing… ou ainda, algo que te mantenha abrangente, mas que agregue conhecimento prático demandado pelo mercado de trabalho, como as áreas voltadas para gestão de projetos e gestão de negócios.

Se você ainda não sabe a área que deseja se especializar ou mesmo onde deseja fazer isso, nós temos uma dica excelente para você, e o melhor, é 0800: www.coursera.org

Nesse site você encontra diversos cursos online e gratuitos, em muitos idiomas (incluindo português), e de universidades de renome internacional, que você pode fazer para te ajudar a escolher sobre sua área de interesse. Se sentir a necessidade de um certificado, daí é necessário pagar uma taxa (geralmente na casa dos cinquenta dólares americanos) e fazer as aulas e atividades direitinho, para receber a certificação.

Se você levar as aulas a sério, assistir aos vídeos e fazer os exercícios propostos, vai se pegar estudando por muitas horas e realmente aprendendo. O modelo online pode ser a salvação ou a enrolação, vai depender do perfil e engajamento do aluno! Mas sem dúvida, é uma opção muito viável, antes de decidir colocar alguns milhares de reais num curso que não tem certeza!

Um grande abraço,

Elisa

COMPARTILHAR
Internacionalista, mineira, radicada no Rio de Janeiro desde 2012. Idealizadora/Fundadora do What's Rel? (2011). Business Development Latin America para uma empresa canadense de engenharia, sócia da PAR Consultoria, e grande entusiasta da carreira de R.I. :)

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here