7 livros que todo internacionalista precisa ler

0
2240

Um internacionalista passa boa parte do seu tempo lendo. Entre obrigações da faculdade e/ou trabalho, muitas vezes a leitura por simples prazer é esquecida. Para todos aqueles que desejam manter ou reanimar esse velho passatempo, o What’s Rel? preparou uma lista com 7 livros, de gosto e gêneros diversos, indispensáveis para nós.

1 – 1984, George Orwell

Nada melhor do que abrir nossa lista com um clássico desse porte. O romance de George Orwell apresenta uma sociedade distópica, em que o governo controla tudo e todos. Tal cenário é consensualmente entendido como uma referência a governos totalitários, sejam de direita ou de esquerda, de modo que nos faça refletir que independente da ideologia política, a liberdade é algo caro e que necessita vigília constante.

A leitura pode parecer monótona em certos momentos, principalmente para leitores que não estão acostumados com este modo de escrita, então, nosso conselho é: não vá com sede ao pote. Vai curtindo a viagem pois, o livro é muito competente em transmitir a sensação de angústia e solidão que envolve a vida do protagonista.

Sinopse

2 – Os Arquivos Snowden, Luke Harding

O caso Snowden nos faz indagar se o futuro de Orwell chegou. O livro retrata a trajetória de Edward Snowden como analista de sistemas da National Security Agency (NSA) até sua fuga do país após o fatídico episódio do vazamento.

Durante a leitura, podemos acompanhar como funciona o órgão responsável por monitorar toda a informação veiculada por internet ou telefone, tanto dos próprios cidadãos estadunidenses quanto dos líderes de países aliados. Parece um filme de espionagem, mas é a realidade. Snowden faz o impossível para fugir das autoridades até conseguir seu asilo na Rússia.

Sinopse

3 – Os Romanov, Simon Sebag Montefiore

Rússia. Pouquíssimos Estados se mantiveram tão relevantes na geopolítica internacional durante tanto tempo. Afinal, o país foi responsável por romper o bloqueio napoleônico, disputou a Europa com a Inglaterra no século XIX (“The Big Game”), colaborou para a derrota dos nazistas e dividiu o mundo em dois blocos, durante a Guerra Fria.

Simon Montefiore relata a trajetória de uma das maiores dinastias da história, a Dinastia Romanov. Sem nenhum pudor, o leitor encontra de forma explícita o mundo em que a família Romanov vivia de luxo, sexo, poder, traição e morte. São mais de 900 páginas que prendem o leitor na intrincada rede de intrigas e sedução que pautou a vida dessa dinastia.

Para além do conteúdo “carnal” do livro, também vale destacar que entender os 300 anos da Dinastia Romanov e seus 20 czares, significa entender características que estão enraizadas na cultura política russa, seja qual for o regime: monárquico, socialista ou democrático.

Sinopse

4 – O mundo pós-ocidental, Oliver Stuenkel

Para um Estado, não há momento mais propício para aspirar à hegemonia no sistema internacional que um período de quebra do status quo, onde a ordem mundial direciona-se para uma nova conjuntura.

O analista brasileiro, Oliver Stuenkel, avalia a ascensão das potências emergentes e suas consequências nos domínios econômico, político e militar, além de examinar quais dinâmicas provavelmente irão moldar a arena política mundial nas próximas décadas, apresentando diversas iniciativas institucionais — em sua maioria, conduzidas pela China — responsáveis por estabelecer uma ordem paralela.

Sinopse

5 – A revolta de Atlas, Ayn Rand

Para melhor compreender a suposta transição descrita por Stuenkel, sem dúvida se faz necessário entender o que exatamente está mudando. Se existe um livro capaz de te dar pistas sobre isso, esse livro é ‘A revolta de Atlas’.

Não se trata de um livro acadêmico ou gênero parecido, mas sim um romance. Um romance que inspirou incontáveis intelectuais e movimentos de direita, nos Estados Unidos e no mundo. O livro trabalha de forma única valores que serviram de base para uma ampla gama de políticas postas em prática nesses últimos anos.

Nele, os Estados Unidos aparecem como o último recanto do capitalismo em um mundo dominado por governos socialistas. Entretanto, essa situação está mudando paulatinamente e os cidadãos produtivos e empreendedores têm de lutar diariamente contra a espoliação do governo. A mensagem que fica é clara: “cada indivíduo é responsável por suas ações e por buscar a liberdade e a felicidade como valores supremos”.

Sinopse

6 – Levantado do Chão, José Saramago

O contraponto do livro anterior fica para José Saramago. Como falar em busca pela liberdade para quem tem a própria vida estruturalmente condicionada à miséria? ‘Levantado do chão’ acompanha a vida da família “Mau-Tempo”, que mora numa região agrária de Portugal, marcada pelo latifúndio.

Não recomendamos esse livro a leitores inexperientes pois, a estrutura estilística do texto e até o próprio vocabulário é bastante complexo. Contudo, os que conseguem se dispor a acompanhar o livro, são premiados com uma melancólica narrativa de beleza única. Todos os percalços e drama da vida camponesa são relatados de modo poético, ora pelo narrador, ora pelas personagens.

O toque de genialidade fica por conta do plano de fundo que transpassa a história. O século XX foi uma época conturbada para Portugal. O país findou o regime monárquico de séculos para proclamar a República, 16 anos depois esta sofreu um golpe militar, o qual deu origem à ditadura salazarista e em 1974, a Revolução dos Cravos reconstitui a democracia. Durante todo esse período é possível observar nas entrelinhas como o cenário político reverbera sobre a dinâmica social em torno das gerações da família Mau-Tempo.

Sinopse

7 – Freaknomics, Steven Levit e Stephen Dubner

Por último, indicamos o polêmico Freaknomics, que de certa forma traz um aspecto similar em relação ao último livro, à medida que, em vez do campo político, os autores partem da economia para explicar certas dinâmicas peculiares da sociedade contemporânea. Certamente, não fazem isso de modo tão elaborado, afinal não é um livro literário, porém, detém plena capacidade de entreter e fazer refletir.

O livro se utiliza de princípios econômicos básicos para comparar e analisar situações inusitadas de modo didático, que variam desde a questão do aborto até venda de imóveis.

Sinopse

E aí curtiram essa lista? Para você internacionalista, qual livro não pode faltar na sua estante? Conte para gente em nossas redes sociais! Nosso intuito é produzir uma nova lista e quem sabe a sua sugestão não entra no próximo post ?

Esse artigo foi produzido com a ajuda do estudante de Relações Internacionais da UFRJ e Colaborador Voluntário Iago Bastos.

COMPARTILHAR
O mais completo site brasileiro sobre o mercado de trabalho em Relações Internacionais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here