O Profissional de RI e os Processos Seletivos

0
386

A busca por uma vaga de estágio ou emprego no mercado de trabalho é muito competitiva, os processos seletivos buscam cada vez mais por profissionais qualificados, e que principalmente demonstrem de que modo podem agregar valor para a empresa.

É verdade que ainda hoje, muitas empresas não conhecem as capacidades do profissional de RI. Mas tenha calma! Já temos também muitas outras que já descobriram o nosso potencial e, colocam nas descrições das vagas como requisito o curso de Relações Internacionais. Semanalmente temos publicado vagas  aqui no site e temos acompanhado essa mudança no perfil das vagas encontradas.

Sendo assim, nós do WR? preparamos um post para lhe ensinar como explorar melhor o seu potencial como Internacionalista nos processos seletivos. Acompanhe abaixo na íntegra:

Compreenda o que o Processo Seletivo quer extrair de você

Cada processo seletivo tem suas peculiaridades, portanto, o primeiro passo é ler com atenção a descrição da vaga. Faça uma análise sincera e verifique se você como internacionalista pode exercer aquela função. Há quem critique o fato do curso de relações internacionais formar profissionais generalistas. Sim, isso é fato! Entretanto isso pode ser levado para o lado positivo.

Nós internacionalistas podemos atuar em diversas áreas como: assessorias, conselhos e diretorias de assuntos políticos, econômicos e financeiros de empresas multinacionais ou de caráter nacional que estão em fase de internacionalização, ou que são associadas a organismos internacionais. Também há demanda de trabalho em empresas importadoras e exportadoras, bem como em bancos e câmaras de comércio. Agências de turismo e empresas de eventos que promovem conferências e fóruns internacionais também recrutam analistas internacionais. No setor público, o profissional pode atuar em bancos, ministérios, governos estaduais, prefeituras e agências reguladoras que possuem departamentos ou assessorias de relações internacionais, já que essas instituições constantemente se relacionam com organismos internacionais.

Há uma variedade de vagas que você pode se candidatar, portanto é preciso analisar com cautela o que cada processo seletivo quer extrair de você.

Demonstre o real valor de um Internacionalista

Muitos internacionalistas cometem o erro de usar o tempo precioso da entrevista tentando explicar o que estudou ao longo do curso. O analista internacional atualmente tem que agregar valor de maneira estratégica ao negócio/projeto em que está inserido. Não basta somente o conhecimento dos fatos e a constante atualização em um mundo que muda de maneira intensa e diária.Você precisa demonstrar como sua capacidade analítica, visão estratégica, compressão global dos fatos, olhar crítico pode contribuir e principalmente agregar valor real para a empresa. Demonstre que você é o candidato ideal para aquela vaga de acordo com a descrição das atividades que serão desempenhadas. Novamente é importante estudar a descrição da vaga e se perguntar: O que você enquanto Analista Internacional pode contribuir para esta empresa?

Autoconhecimento

O campo das Relações Internacionais é muito amplo e permite o internacionalista atuar em diversas áreas. Portanto, é imprescindível que o candidato em um processo seletivo se conheça e tenha em mente de forma clara quais são os seus objetivos. O autoconhecimento é um processo longo, mas, atualmente existem diversas ferramentas que podem lhe ajudar a descobrir qual é o seu propósito como internacionalista.

A Fundação Estudar, nosso parceiro, possui o curso online ou presencial sobre Autoconhecimento. Já na plataforma Equilíbria você pode fazer um teste de perfil gratuito e aprender sobre seus comportamentos, de modo a  melhorar as habilidades de comunicação, construir melhores relacionamentos e trabalhar de maneira mais eficiente.

Agora que você já sabe como explorar todas as suas habilidades como internacionalista em um processo seletivo, precisa caprichar no currículo, carta de apresentação, no envio do e-mail e principalmente no que não dizer aos recrutadores. Você pode conferir todas essas dicas em uma retrospectiva que fizemos sobre o tema processos seletivos.

E aí, curtiu? Conte pra gente nos comentários nas redes sociais como esse post te ajudou.

 

Esse post foi produzido com a ajuda da estudante de Relações Internacionais da UFRRJ e Colaboradora Voluntária Glayceane de Souza.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here