RI e Empreendedorismo Social

0
137

O Analista Internacional tem uma formação que o possibilita pensar os problemas da sociedade e das relações entre os Estado no seu âmbito global. As transformações contemporâneas como a redução das barreiras internacionais, a globalização e os avanços tecnológicos, transformaram a concepção dos líderes mundiais em relação a resolução de questões no contexto mundial. Essas transformações, modificaram a percepção de compreensão e solução dos problemas sociais. É nessa conjuntura que os Empreendedores Sociais ganham notoriedade no cenário internacional atual.

O estímulo ao Empreendedorismo Social ocorre devido ao descrédito que muitas vezes as instituições governamentais e sociais possuem por serem ineficazes na solução de problemas. É nesse momento que os empreendedores sociais podem exercer sua agência na busca por essas soluções. Esses indivíduos não são pessoas de grande prestígio ou engajadas em ações filantrópicas, pelo contrário, na sua grande maioria são pessoas comuns e que vivem em divergências sociais e por isso buscam a transformação desse quadro social. A conexão entre os indivíduos transformadores se torna forte e isso, proporciona que medidas adotadas por eles sobre a realidade social possam ser implementadas em outros locais, levando o empreendedorismo social local a alcançar o nível internacional.

O Empreendedor, de modo geral, são pessoas que tem o perfil de iniciar algo inovador, assumindo os seus riscos. É importante diferenciarmos o Empreender Econômico do Empreendedor Social. Aquele tem suas ações voltadas para gerar resultados com valores econômicos, na criação de riquezas com um impacto facilmente mensurável. Já este tem sua atuação no intuito de proporcionar benefícios a sociedade civil, com impactos provenientes de sua missão social entretanto, seus impactos não são facilmente mensuráveis.

O Analista Internacional Gaston Santi Kremer, que já nos concedeu uma entrevista sobre assunto, afirma que “É um mercado em franca expansão, principalmente pelo chamado da nossa geração a estar mais conectado com um propósito. (…) E assim como RI, tédio não é uma opção, pois grandes desafios não faltam! Existe uma miríade de problemas para serem resolvidos. “. É importante o profissional das Relações Internacionais estar atento a essa gama de problemas a serem resolvidos e, portanto, caso tenha o perfil empreendedor, considerar empreender no âmbito social, provocando assim transformações não somente no cenário local como também no Internacional.

Sendo assim, como forma de incentivo aos analistas internacionais que possuem interesse nesse assunto,recomendamos que conheçam a Aschoka, uma instituição que fomenta o empreendedorismo social na intenção de promover uma sociedade civil organizada, afim de solucionar os maiores problemas que afetam as sociedades em todos o mundo. A instituição busca por novos empreendedores sociais que tenham projetos inovadores para promover estes indivíduos com apoio financeiro e parcerias com outros empreendedores sociais ao redor do mundo.

Se interessou pelo tema? Então fique atento porque em breve teremos um post sobre o Perfil do Empreendedor Social e os cinco papéis que o Empreendedor Social desempenha. A gente te avisa quando o post for ao ar, você não vai querer perder, né?!

Esse artigo foi produzido com a ajuda da estudante de Relações Internacionais da UFRRJ e Colaborada Voluntária Glayceane Souza.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here