Embaixada dos EUA: analista internacional conta sua experiência no processo seletivo

0
1812

A analista internacional Franciely Torrente Veloso participou de um processo para uma vaga de emprego na Embaixada dos Estados Unidos. Ela fez um relato exclusivo e imperdível para os leitores do Whats Rel? Franciely nos contou sobre o processo de inscrição, as fases de testes e a importância de está em dia com o inglês. Confira abaixo.

“Recentemente iniciei o processo para trabalhar na Embaixada dos Estados Unidos da América. As fases do processo em si para ocupar um posto de trabalho estão bem informadas no próprio site da Embaixada. Elas são: busca pela vaga no site da Embaixada, envio do formulário DS-174 (disponibilizado no próprio site) para o e-mail indicado na descrição da vaga, testes administrativos, entrevista, exame médico e triagem de segurança, proposta de emprego formal e assinatura do contrato.

A primeira coisa que deve-se prestar muita atenção é a descrição da vaga: esteja ciente que você não deve mentir, porque as habilidades e experiências necessárias para a vaga serão testadas, então é preciso ser honesto para preencher o formulário DS-174. Se você possuir todos os requisitos para a vaga, envie o formulário DS-174 para o e-mail indicado. Como o volume de candidaturas é muito grande, eles só entram em contato com as pessoas que passaram para a próxima fase: os testes administrativos.

Na fase de testes administrativos, o candidato fará os testes de inglês e os de habilidades específicas. A prova de inglês consiste em prova oral, de listening (short and long conversations) e de interpretação de textos. Esteja preparado para a prova de inglês para que você tire exatamente a nota equivalente ao nível necessário para ocupar a vaga. Os testes de habilidades variam de acordo com o que foi requisitado em cada vaga, então, se na vaga é exigido que o candidato redija e responda e-mails/cartas, tenha nível x no pacote Office, de fato tudo isso será testado. No geral, esses testes consistem em traduções do inglês para o português e vice-versa de atividades que o candidato deverá realizar ao ser selecionado para ocupar a vaga.

Leia também: 9 DICAS PRECIOSAS PARA TRABALHAR EM EMBAIXADAS E CONSULADOS

DICA: esteja em dia com o inglês, estude mesmo, se está um pouco ‘’enferrujado’’, volte a estudar, mesmo que em casa, procure testes na internet, faça acontecer. Ah, se sua vaga exige conhecimentos de informática, seja no pacote Office ou outros programas, estude em inglês edição e formatação de textos e planilhas, fórmulas, tudo o que for necessário. Prepara-se bem. A experiência pode ser incrível, mas para chegar lá, é preciso realmente estar muito preparado porque a concorrência é grande.

Ainda não tive experiência de participar da fase de entrevistas, mas penso no óbvio: inglês impecável de acordo com o nível exigido pela vaga, tranquilidade, segurança na fala, perguntas clássicas de entrevista de emprego e também questionamentos situacionais de coisas que realmente podem acontecer quando a vaga for ocupada para testar a capacidade do candidato de lidar com diversas situações.

Não tem segredo: muita dedicação, tranquilidade e confiança em sua capacidade. Prepare-se bem e boa sorte.”

Franciely Torrente Veloso

E aí, curtiu as dicas da Franciely? Se você já participou de processos seletivos em embaixadas, ONGs ou empresas e também deseja compartilhar conosco, nos escreva contando como foi sua experiência! 

 

Assista ao vídeo do Whats Rel com dicas para trabalhar em Embaixadas e Consulados

Leia também:

COMPARTILHAR
O mais completo site brasileiro sobre o mercado de trabalho em Relações Internacionais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here