Sustentabilidade e RI: 6 opções de Carreiras para atuar com a Temática Ambiental

0
341

O tema da sustentabilidade tem estado bastante em voga nesta década e é algo que vai além do modismo —  é uma realidade que precisa ser encarada com urgência pela humanidade. Não à toa, diversos organismos internacionais, grandes empresas transnacionais e Estados devotam cada vez mais atenção ao assunto.

O novo milênio trouxe inúmeras discussões que passaram a permear a dinâmica das relações internacionais e o meio ambiente é uma delas. Como manifestações claras desse movimento, pode-se observar a ONU Meio Ambiente, um dos grandes braços das Nações Unidas desde a década de 70, responsável por pensar ações e mobilizar agentes em prol de novas bases de desenvolvimento em harmonia com o planeta, assim como práticas  de empresas gigantes que têm buscado adequar sua produção à luz do ambientalismo, como o Projeto Gigaton do Walmart ou os investimentos massivos em carros elétricos de grandes montadoras como Ford e General Motors.

Evidentemente esse processo não ocorre de forma homogênea em todos os cantos do globo. Muitas vezes a temática ambiental pauta disputas político-econômicas travadas nas mesas de conferências entre países interessados, as quais resultam em tratados, convenções, acordos, protocolos ou mesmo em impasses que adiam seu desfecho.

Confira a seguir a lista preparada pelo What’s Rel? de opções de carreira para internacionalistas que desejam trabalhar com a temática ambiental:

1 – Analista em ONGs ambientais

A opção que envolve o trabalho do internacionalista com o meio ambiente de modo mais explícito, é sua atuação junto a Organizações Não-Governamentais orientadas à área ambiental. O trabalho nessas ONGs requer profissionais especializados em um determinado nicho, por exemplo, caça de baleias, poluição industrial ou desmatamento florestal. É necessário estar atento à cadeia produtiva local da sua região de atuação e como ela interage com a cadeia global, além de estar a par da política doméstica, da legislação e saber se articular com as demais ONGs que levantam a mesma bandeira.

2 – Compliance

Outra opção não tão óbvia à primeira vista, mas que também insere o internacionalista na questão ambiental é a área de compliance, ou mais especificamente, compliance ambiental. O profissional da área precisa estar a par da legislação ambiental do local onde sua empresa pretende atuar e certificar-se de que a mesma  a respeita por dispositivos de controle interno de modo a prevenir qualquer falta ao meio ambiente. 

3 – Secretarias e Ministérios

Órgãos públicos, ainda que ao nível sub-federal, estão qualificados a cooperarem internacionalmente, seja exportando políticas públicas bem-sucedidas ou importando-as, além da possibilidade de atuação conjunta para resolução de algum conflito que transpassa fronteiras (tráfico de madeira ilegal, por exemplo). Todos os estados brasileiros e a maioria dos grandes municípios possuem secretarias de meio ambiente, bem como órgãos ligados à área ambiental como o Ministério do Meio Ambiente e o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis( IBAMA) possuem pastas destinadas a assuntos internacionais. 

4 – Consultoria

Empresas que oferecem consultoria ambiental, fornecem uma análise de todos os riscos do impacto ambiental que um projeto traz consigo e possíveis intervenções para prevenção de danos, além disso, muitas apresentam projetos de reparação como ações de reflorestamento e restauração de mananciais. Empresas de consultoria normalmente reúnem profissionais qualificados de diversas áreas para conceber uma visão ampla e eficaz sobre seu objeto de trabalho e não poderia ser diferente com um tema tão complexo e sensível quanto a questão sustentável.

5 – Diplomacia

Os diplomatas sentam-se à mesa de negociações, juntamente a outros especialistas, para trabalhar resoluções que direcionam a política ambiental de seus países em âmbito externo. Desse esforço, resultaram acordos de cooperação, metas sustentáveis a serem batidas ou até mesmo tarifas alfandegárias que visam atacar produtos não-sustentáveis. Para tanto, mais uma vez é requisitada a habilidade de percepção da realidade global em compasso com as especificidades locais que o internacionalista detém. 

6 – Pesquisa

O segmento de pesquisa na área ambiental, ligado geralmente à carreira acadêmica, está em constante crescimento nos últimos anos. De maneira geral, trata-se de uma abordagem multidisciplinar, incluindo tanto temas das ciências naturais como das ciências humanas. Em especial no que tange à atuação nas Relações Internacionais, é possível observar o crescimento de pesquisas nacionais e internacionais voltadas para temas como mudança climática, exploração de recursos naturais, economia verde e desenvolvimento sustentável, acordos e conferências ambientais internacionais e cooperação ambiental internacional.

Esse artigo foi produzido com a ajuda dos estudantes de Relações Internacionais  Iago Bastos da UFRJ e Letícia Mello da UFRRJ ambos voluntários do WR?.

 

Confira outros posts  sobre esse tema:

Atuação do profissional de Relações Internacionais em Negócios Sustentáveis

Empresa adota conhecimentos de RI para inovar na área ambiental

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here